Reflexão: Radicalmente contra Radicalismos

quinta-feira, 3 de abril de 2008 |


Um dos objetivos da Educação é formar seres conscientes e críticos, capazes de opinar, concluir, discordar e perceber as várias nuances de uma realidade.
Agradeço muito, todos os dias pela educação de qualidade que recebi, tanto em casa quanto na escola, por ter aprendido a não me limitar a conhecer as idéias alheias e formar as minhas próprias.
O problema é que nem sempre nossas idéias/opiniões/opções são aceitas. Daí gera-se o conflito. E conflito, quando bem administrado, também é uma forma de aprendizagem e crescimento.
Muitas vezes, para se aperfeiçoar uma idéia é necessário contraposição a outra.
O que não podemos é não aceitar o direito do outro. É julgar previamente o erro alheio, pois o certo e o errado são subjetivos.
Muitos erros tornam-se atenuantes de acordo com o contexto em que se inserem.
Muitas vezes, me sinto angustiada, pois na maioria das vezes percebo intenções excusas por trás de aparentes boas intenções. Sinto-me, por vezes, aquela figura que de tudo desconfia: a ONG que recebe grana do governo, o candidato que tem projeto social, a política do governo que favorece um determinado segmento, os surtos moralistas dos opositores e por aí vai...
Coloco estas reflexões aqui mesmo como desabafo de ser pensante. Só é preciso se cuidar para não enveredar para o radicalismo, pois é aí que eles surgem: da crítica e da falsa impressão de que a sua verdade é que é a única.

1 comentários:

Folha Estudantil disse...

OLá Jenny! Queremos lhe enviar o Jornal da E. E. Justiniano Fonseca, de Leopoldina - MG.
Por favor, envie para nós seu endereço.
Nosso e-mail é: escola.justinianofonseca@hotmail.com

Um abraço,

Rodolfo.