Kolya - Uma lição de Amor e a Psicologia Infantil

segunda-feira, 6 de abril de 2009 |

Foto: http://www.65anosdecinema.pro.br/Kolya.htm
Infelizmente, por conta de minha cirurgia no joelho, só agora consegui assistir ao filme recomendado pela disciplina de Psicologia na educação para a primeira avaliação a distância deste semestre no meu curso do CEDERJ.
Kolya - Uma lição de Amor
Mas, antes tarde do que nunca! O filme é cativante e me surpreendeu. Recomendo ao amigo Prof. Robson, do Caldeirão e a todos que gostam de filmes do gênero.
É lamentável que ainda tenhamos esta forte influência comercial nas locadoras aqui no Brasil, pois procurei o DVD por aqui e não encontrei...

Abordarei aqui as duas questões da avaliação que tem o filme como tema:

  • No filme Kolya, escolha alguma parte onde podemos perceber a identificação do menino com Luka, o músico, e discorra brevemente sobre ela.

Esta talvez seja uma das cenas preferidas da maioria dos que assistem ao filme por retratar com bom humor aquelas coisas que as crianças costumam fazer por imitação. Enquanto Louka tocava em um coreto num SPA, o menino também tocava seu pequeno violino (presente de Louka) do lado de fora, causando estranheza ao maestro. Uma engraçada e bela cena que nos mostra como as crianças se identificam com as atividades desenvolvidas pelos que a cercam e que, na maioria das vezes, poderão influenciar futuramente em suas escolhas, sejam profissionais ou não. O importante é que no dia a dia, elas constroem referências sobre o mundo, e principalmente sobre os adultos, baseadas em suas observações do real.

  • Quais transformações emocionais você descreveria na vida de Kolya e de Luka que foram decorrentes do encontro desse menino e desse homem?

Sem dúvida, talvez a maior transformação se deu na vida de Louka (Luka), pois o solteirão convicto e mulherengo solitário deu a volta por cima e reergueu sua vida, aparentemente assumindo seu romance com Klara. Tal fato fica subentendido ao final, mas é o que se espera.
Sabemos que a convivência dele com Kolya trouxe alegria e encanto para sua vida solitária e o levou a abrir seu coração para o mundo. Isso não significa que optar por não se casar seja negativo, mas ele não parecia realizado com isso. Para Kolya, a presença de uma figura paterna, mesmo que agora distante ocupará importante destaque em seu coração. Ele agora sabe que possui um grande amigo que o encoraja e ama, e isso é importante para toda criança. Um ponto marcante também poderá ser o gosto pela música, pois ao conviver tanto tempo com ela, certamente o despertou.

Se você assistir ao filme, coloque seu comentário para trocarmos figurinhas. Aguardo!

OBS: Falar da semelhança do ator com Sean Connery nem é necessário. Importante é falar de sua excelente performance. Sem dúvida, uma interpretação cativante além de altamente charmoso, né!A naturalidade em cena do pequeno Kolya também é deliciosa. Dá vontade de pegá-lo no colo!

6 comentários:

Robson Freire disse...

Olá Jenny

Eu ainda não vi o filme, mas com certeza agora irei vê-lo pois sua indicação me encheu os olhos. Gosto particularmente de filmes com essa tematica.

Agora quando a não se encontrar filmes de arte ou documentários em locadoras, a não ser filmes de grande circuito em hollywood. Para isso sem há alguma alternativa (0800) na internet.

Gostaria de recomendar e divulgar o blog de uma amigo que disponibiliza filmes do oriente médio e da asia. O blog se chama CineMuslim ( http://cinemuslim.blogspot.com/ )e da uma olhada nos filmes disponíveis por lá.

Filmes como A Cor do Paraíso, Filhos do Paraíso, Tempo de Embebedar cavalos, Tartarugas Podem Voar, A Banda, O Balão Branco e o impactante filme Morte em Gaza entre outras maravilhas estão disponíveis para download.

Vou ver filme e gostaria de te fazer um convite. Monte um resenha completa do filme e pontos de aplicação em sala de aula com o mesmo. Ai eu posto ele num Cinema no Caldeirão.

Abraços

Robson Freire
http://nteitaperuna.blogspot.com/

Nau disse...

Olá querida amiga
Adorei a indicação!
Vou assistir e com certeza trabalhar com ele no grupo de formação.
Estimo ótima recuperação, para que vc dê saltos tão plenos e danças tão fabulosas quanto os seus saltos na educação.
Felicidades mil!

Patrícia disse...

Olá, tem um selinho do Prêmio Dardos pra você no meu blog!

Jenny Horta disse...

Oi Robson, meu amigo alvinegro! Tenho certeza de que vc vai gostar muito deste filme. Quanto á resenha, prometo que assim que passar meu período de provas eu preparo para você postar no Caldeirão.

Jenny Horta disse...

Obrigada por tudo Naurelita! Você é uma das que mais me motiva e isso não tem preço.

Jenny Horta disse...

Opa Patrícia! Vou passar por lá, muito obrigada!