Considerações sobre como formar alunos-autores

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 |



O desafio de formar uma sociedade leitora, informada, consciente e participativa, onde a cidadania será exercida em sua plenitude envolve o estímulo curiosidade e abertura a novos conhecimentos no ambiente escolar. Logo, o professor deve ser, antes de tudo, um leitor.

Kriegl (2002) declara que o comportamento do professor influencia no processo de motivação da leitura:

[...] não consiste em que o professor diga: Fantástico! Vamos ler! Mas que elas mesmas o digam ou pensem. Isso se consegue planejando bem a tarefa de leitura e selecionando com critério os materiais que nela serão trabalhados, tomando decisões sobre as ajudas prévias de que alguns alunos possam necessitar evitando situações de concorrência [...] e promovendo, sempre que possível, aquelas situações que abordem contextos de uso real, incentivem o gosto pela leitura e façam o leitor avançar em seu próprio ritmo para ir elaborando sua própria interpretação – situações de leitura silenciosa [...]


(Esta citação foi retirada de Texto Preparatório para o encontro presencial: Leitura e condição feminina- Prfª Doutoranda Maura Esandola T. Quinhões - Seminário de Práticas Educativas II)

O professor, como o elo principal entre texto/aluno/conteúdo, deve portanto dedicar-se a pesquisa e informação para realizar com eficàcia essa mediação.

Uma leitura importante e de qualidade pedagógica nos serve sempre de estímulo. Isso reverte consequentemente aos alunos em sala. Recomendo esta excelente matéria da Nova Escola: http://revistaescola.abril.com.br/producao-de-texto/

7 comentários:

Fátima Campilho disse...

Certamente, mas considerar que todo texto precisa se situar na realidade é apenas um lado das inúmeras possibilidades.Onde fica a fantasia, tão essencial na formação da personalidade infantil.
Ainda não li as orientações da revista, só estou comentando a citação.
Abraços

Jenny Horta disse...

É Fátima, realmente as palavras, muitas vezes são perigosas. Considero que atualmente temos dado pouco valor em estimular o encanto e a fantasia. Por isso adoro trabalhar com poemas para as crianças...é muito bom conservar o lado infantil contra esta sociedade consumista que cada vez mais a precocidade das crianças.

Clarissa disse...

Olá, Jenny.
Concordo com você quando diz que o professor deve ser, antes de tudo, um leitor. Mas não só, um pesquisador, um estimulador e antes de mais, nada um criativo pois deve procurar formas novas de ensinar e fomentar a sede de conhecimento. Neste caso, a Internet pode ser uma grande aliada, mas com ressalvas.
Um abraço.

Profª Aloizia disse...

Muito bom o texto Jeni,vou ler o artigo da nova escola,seu blog é muito instrutivo, como estou começando sempre estou "fuçando",rsrs e tenho encontrado coisas otimas.
Parabens!!!!!!!!
bjssssssssssssssss

Jenny Horta disse...

Isso é que é apaixonante na web...vamos aprendendo muito mais e os blogs são uma forma de reunir o que nos interessa para pesquisas posteriores.

Vilmair disse...

Oi Jenny! Concordo quando você diz que o professor é o elo principal entre essa aprendizagem e é por isso que os professores devem ter o cuidado em como estimular esse aluno para se tornar um leitor/autor.
Parabéns!!!!!!!!!

Argentino Neto disse...

Jenny, de vez em quando venho aqui. Sempre é bom voltar. Quando pintar um tempo visite-me também.
Felicidades