Socialmente Justo

terça-feira, 9 de setembro de 2008 |

Dentre todas as mensagens e estudos importantes do mestre Paulo Freire, acredito que a mais importante foi a Pedagogia da Libertação. Todos os dias devemos renovar nossas mentes nesta base. Acredito também, no que podemos chamar de "diversificação do saber". São muitas as habilidades exigidas nos dias de hoje e poucas são as reais possibilidades que uma escola tradicionalmente oferece, além daquele ensino bancário, que pouco proporciona aos milhões de jovens que poucas chances terão de ingressar numa universidade, e mesmo com muita perseverança, terão que, antes, ingressar no mercado de trabalho.
Me lembrei de Paulo Freire ao ler esta entrevista. Adoro design, vejo nele uma possibilidade para muitos jovens e felizmente surgem "cabeças livres" que captam a pedagogia libertadora.

Verifiquem se não tem tudo a ver!!
http://www.gnu-lia.org/index.php?option=com_content&task=view&id=166&Itemid=47&limit=1&limitstart=0

1 comentários:

Conceição EJA disse...

Gostei muito da entrevista. Achei muito interessante quando o Eduardo aponta a questão da dependência tecnológica, e pensei o quanto esta pode ser criada quando das decisões de governos ao assumirem a montagem de laboratórios escolares ou distribuição de laptops a professores com sistemas proprietários. Também gostaria de ressaltar a questão didática na criação de uma cultura de software livre. Quando o Eduardo diz que acredita que “a não-adoção de Softwares Livres pela maioria das pessoas seja uma questão cultural e conceitual”, eu me vi nesta situação: em meu computador pessoal utilizo software proprietário porque enquanto usuária comum, não conheço pessoalmente alguém que o utilize ou que pudesse indicar um técnico para instalá-lo. Ideologia eu tenho, mas não o conhecimento suficiente para fazer uso efetivo do software livre na minha própria casa. O máximo que faço é navegar no Firefox, tentar utilizar o Gimp, experimentar o Audacity...